sexta-feira, 7 de outubro de 2005

Reencontro no Verão...

Lembraste das nossas noites quentes de Verão...?
Do tapete estendido no chão...
Do tecto de estrelas composto...
Nós deitados... nossos corpos despidos entrelaçados...
Tantas conversas tivemos... falamos de nós... das dúvidas...
Da única certeza que tinhamos... o amor que ambos sentíamos.
Ouvia-te dizer que me querias...
Que ias lutar... por mim... por nós... pela nossa vida.
O gelo ia derretendo nos copos...
O som das vagas a morrer no areal... embalava nossos desejos...
A luz da lua banhava nossos corpos.
Pedias-me para não desistir de ti...
Sempre te disse que não podia... estar aqui... ficar à espera...
E que , no entretanto, a decisão estava tomada...
Iria tirar todo o prazer do tempo que contigo restava...
Viver o nosso amor... até à exaustão... até ires embora...
E vivemos... sem saber o dia seguinte...
Foi o pior... e o melhor Verão da minha vida...
Fomos loucos... como nunca... excitantes sem pudores ou limites.

Chegou o dia... foste embora...
Mas a distância... só nos enlouqueceu mais ainda...
Fomos amantes clandestinos...encontros na madrugada...em hoteis desconhecidos...
Fomos namorados apaixonados... no carro a beijarem-se... fazendo juras de amor...
Trocamos mensagens diárias... confirmando nosso amor...
Dizias acreditar que ainda podiamos ser muito felizes juntos...
Eu também acreditava...
Que me amavas...
Eu também te amo.
Eu esperei... nós lutamos... tu voltaste... estamos juntos...
Porque assim o quiseste... não posso por isso ter dúvidas...
Foste livre para escolher... e comigo sempre o serás...
Só assim se vive o AMOR livremente... só assim o sei viver...
Por isso... sou feliz.

Querido... não duvides nunca... AMO-TE.

14 comentários:

lazuli disse...

É lindo esse amor:)

Carlinha disse...

"Foste livre para escolher..."
Esta frase diz tudo .... No amor tem mesmo que haver liberdade de escolha, senão não é amor, é prisão!
Essa liberdade nunca deve deixar de lado o respeito que se deve ter por quem está ao nosso lado.
Vi uma vez um filme que começa com esta frase: "Se um dia amares alguém,deixa-o livre,
se ele voltar,é porque será teu,
se não voltar é porque nunca te pertenceu..."
Beijinhos

terragel disse...

A.R.M. quando te leio, sinto que tu sentes, que todo o amor depende daquilo estais escrevendo.Sinto que todo o universo sensual está nas pontas de seus dedos.Quando te leio consigo experimentar o fluxo de teu amor correndo em milhas veias, mesmo que não seja eu a experimentar o fluxo de teu amor, o simples fato de estar te lendo eleva o estado de minha conciência sensual.
Em outros blogs que tenho lido, não consigo sentir essa mesma veracidade sentimental que tu consegues passar,sinto que tua energia sensual não está sendo desperdiçada, porque vc nos passa que és a própria sensualidade.Eu vejo no teu conto cada vez mais, a beleza do que é necessário para o amor sensual, o fluxo de energia sensual que sai de tuas mãos, concentra a minha atenção e motiva minha ação.
É impressionante como eu fiquei impressionado com a veracidade que consegues me passar.
Bjs

sonhos sonhados disse...

Visible

entrei sem tocar...
mas gostei muito do que li!

descobri o teu blogue,
quando lia Carmem Villa...
e resolvi visitar...

vou voltar!
porque...
quero ler mais palavras tuas.

jinhux létinha.

Porquê? disse...

Querida amiga,
eu sabia que nos irias surpreender! é linda a tua escrita e eu identifico-me muito com o que escreves. Acho que tens razão, há muitas semelhanças na nossa maneira de viver o amor!
Não deixes fugir esse amor, pelo que escreves sinto que mereces ser feliz e de certeza que tens um dote especial para fazeres feliz o teu amor. Parafraseando o Sting, "if you love somebody set them free"! Grande verdade!
Continua feliz e apaixonada para nos dares muitas alegrias com a tua escrita.
Parece que já me conheces, estou de facto a preparar-me para mais um texto, por isso, lá te espero para me dares força!
Grande beijo

Lis57 disse...

«Eu esperei...nós lutamos...tu voltaste. Foste livre para escolher» Esta frase inclui tanta coisa!!!! Ela revela o que há de mais nobre e sublime no amor:LIBERDADE.

Bom fim de semana

pensamentos disse...

Olá,

Embora tenha gostado muito do teu texto, não vou fazer nenhum comentário...

Desculpa...

mas deixo-te um grande beijo...

Å®t_Øf_£övë disse...

Visible,
O amor é uma mistura explosiva de visões, encontros, previsões, esperanças, desencontros, desilusões...
Mas tens razão em dizeres que no amor tem que se ser livre, livre de escolher... e que só o sabes viver assim.
O amor e a liberdade são perfeitamente compatíveis. O próprio amor é liberdade. O amor não aprisiona, não exige, não se impõe. E se não se confia no outro, isso também não é amor. Ninguém é dono de ninguém e muito menos quando ama. Em princípio devia ser assim, na prática as pessoas apaixonadas ficam dependentes da outra, monopolizam, sufocam, desconfiam. Vivem em ansiedade pelo telefonema que ainda não veio, por isso não saem com os amigos, pois pode vir o tal telefonema, não saem muitas vezes se não for com a pessoa amada. Há tanta coisa que se deixa de fazer quando se está apaixonado...
Mas apaixonar não é amar. Amar é confiar no outro, é aceitá-lo tal e qual como ele é, é tê-lo sem o aprisionar, é dar-lhe espaço para que ele possa crescer. Em resumo viver a sua vida e não a vida do outro. Sem amor não há liberdade e a liberdade só pode ser vivida com amor. Não se confunda paixão com amor, porque é totalmente diferente. A maior parte apaixona-se, mas o que fica quando passa a paixão?
Fica a dor e a desilusão.
O amor é eterno e mesmo quando o outro tem de partir ou porque a relação acabou ou porque morreu, fica a doçura dos dias vividos, partilhados.
A paixão é como o fogo. É forte, violenta, queima por dentro, mas depois tudo fica em cinzas.
O amor é sereno, seguro, estável.
Este é o meu testemunho e a minha experiência. Já me apaixonei e já amei... e há diferenças, que parecem subtis, mas que são do tamanho do universo.
Bom fds.
Beijos.

lazuli disse...

Visible, um bom domingo para ti..e vive esse amor com alegria..

Peter Pan X disse...

Olá minha querida Visible Silence.

Presenteaste-nos com um belo texto em que cada palavra nos transmite um turbilhão de imagens e sensações...

Quase que consigo sentir o que tu sentes...

O teu texto está demais, adorei!

Valeu a pena a espera.

Um beijão enooormeeee para ti!
Fica bem!
;-)

PS --> Obrigado pelos teus comentários no meu Blog.
Joga no Euromilhões, olha que acertas... ;-)

almaqueabsorveaslagrimas disse...

Olá minha querida :D

Uhm... este terror de ter amor longe é mau.. sei o que isso é :P Mas já diziam, que amores que longe ficam mais solidificam. LOLOL :P

Beijinho no coração ****

Carmem L Vilanova disse...

Querida nova amiga,
Nao poderia deixar de vir aqui agradecer-te imenso por tua participaçao no 1º Aniversário do Eu Sei Que Vou Te Amar... Adorei poder conhecer-te e a teu blog... e por favor, quando passes por ali, nao o faças de forma "invisible", deixa sempre o teu sorriso... certamente me farás muito feliz... e nao tenhas dúvidas... de agora por diante, serei leitora assídua por aqui também...
Muitos beijos, flores e sorrisos para ti!

Nilson Barcelli disse...

Caí de pára-quedas no teu blogue.
Não o conhecia. Como tal li-o todo (também ainda não é muito grande...).
Para bloco-notas é muito bom (foi o que lhe chamaste num dos primeiros posts).
Não vou comentar o que fizeste até aqui, até para não cair em exageros que são muito frequentes (acontece isso no meu blogue e eu tenho consciência do facto). Vou ficar à espera de mais textos, eventualmente poesias. Sinto que tens potencial para ir muito mais longe e, por isso, prefiro ir comentando os próximos posts (voltarei, claro) à medida que te for conhecendo melhor a partir do que escreves (para já ainda não te consigo vislumbrar, mas o defeito é meu porque sou lento...).
Mas continua que vais na direcção correcta (é só o que eu acho e eu não nenhum expert).

liberdade disse...

o linda....bravo...mas tb se pode fazer isso tudo, sem tanto amor....prazer pelo prazer..

Enviar um comentário